19.4.17

Linden Twins ♫ ♬ Capítulo 28 por Mel Kiryu


Capítulo 28

      O domingo de Jiang e Syaoran

       Dormiram na mesma cama, mas quando Syaoran acordou por volta das nove da manhã, percebeu logo que estava sozinho no quarto.
     Como assim? Jiang estava tão cansado e mesmo assim tinha levantado mais cedo!
    Depois de usar o banheiro, encontrou com Jiang na sala trajando roupa de sair e amarrando o cadarço das botas de couro marrom castor, sentado na beira da espreguiçadeira.

__Bom dia, Syaoran... Vá comer alguma coisa e troque de roupa... Vamos pegar o bonde.
__Bonde?...
    Syaoran coçou o braço ainda sentindo-se meio sonolento e seu pensamento ainda replicava: "Que bonde?"__ Por isso, olhou para Jiang algo perdido. Ao mesmo tempo que também confabulava consigo, como Jiang estava bonito vestindo jeans claro, a jaqueta de pelos no mesmo tom e um discreto lenço masculino amarrado no pescoço.
__Isso aí, é o meio mais rápido para se chegar à Praça Qiu Han.__ Jiang redarguiu ajustando a lingueta de uma das botas.__ Tem suco de maçã na geladeira, vê se não demora.
     Syaoran quase perguntou o que iam fazer na praça Qiu Han, o que tinha lá de tão atrativo para Jiang ter acordado cedo em pleno domingo. Havia firmeza e decisão em seu falar e Syaoran resolveu não questionar aquela voz tão idêntica a de Huang que atravessava seus ouvidos.
    Comeu um desjejum rápido na cozinha, tomou um copo de suco de maçã e somente conseguiu acender um cigarro quando desceu a ladeira junto de Jiang, trajando uma das poucas roupas legais que tinha trago em sua mochila quando decidira viajar de uma hora para outra até aquela cidade.

                                                                           ********
             A manhã estava extremamente nublada e úmida, mas não havia previsão de chuva para aquele domingo.
              Somente começou a compreender quando estavam sentado um ao lado do outro naquele bonde.
    Quando viu Jiang tirar do bolso aquela folha de papel.
    Então era isso, iam a algum lugar buscar pistas sobre o paradeiro de Huang.
    Jiang abriu o papel antes dobrado e encarou a lista feita com sua própria caligrafia.
__Não podemos ir ao galpão da Escola Saix, hoje ela está fechada... Mas, pensei em começarmos no Conservatório, depois faremos aos poucos o caminho de volta passando na escadaria do Templo, no Bar San Martin e por último na garagem do Stan... Claro que que no meio do caminho, a gente pode parar em algum lugar para fazer um lanche.
__Você acha que tem algo para achar numa escadaria de Templo?__ Syaoran indagou dando uma olhadela no papel entre os dedos de Jiang.
__Diabos que não sei... Mas, os monges que de certo lembram de mim e do Huang, nós fomos expulsos das escadarias mais de uma vez por fazer muito barulho com vozes e violão.
    Syaoran tirou os olhos do papel e mirou-se em Jiang algo pensativo, seus corpos se esbarrando de leve enquanto o bonde fazia o percurso.
__Uma vez o Luciel me disse que eu te fazia sofrer por ficar remexendo assim no passado.__ Syaoran arguiu levemente debruçado nos próprios joelhos.__ Não precisa ir adiante com isso, se realmente te faz tão mal...
__Acho que é tarde demais para me dizer isso, Syaoran... Você bagunçou meus dias de um modo irreversível.
     E Jiang não o disse em tom de zanga, mas também não disse portando nenhum indício de sorriso. Simplesmente disse, como a verdade que era.
     E depois de bagunçar a vida de Jiang, que direito Syaoran tinha de pedir para desistirem dessa busca? Tinha perdido a coragem de descer do bonde na próxima parada e pedir para Jiang esquecer daquela lista.
    Até porque, talvez Jiang também quisesse encontrar seu irmão.

     A Praça Qiu Han era ladeada por hortênsias azuis, um ponto de encontro para os jovens e casais de namorados e ficava localizada de fronte ao Conservatório Shen Wang.
__Esse prédio antigo é o tal Conservatório?
__Na verdade, esse prédio é um patrimônio tombado... Já tem alguns anos que começou a ser usado como Conservatório e nos finais de semana, acontecem aulas e eventos sem fins lucrativos.
    Syaoran ainda vislumbrava a fachada arcaica, podia imaginar Huang em sua mente caminhando na mesma calçada do antigo prédio prestes a entrar no Conservatório enquanto carregava em seu ombro a guitarra metida na capa.
    Dando-se conta que estava diante de uma parte da vida de Huang que antes nem se quer conhecia e assim, de súbito, Syaoran sentia-se tomado por uma violenta ternura.
      Huang nunca lhe falava do que tinha vivido antes de chegar a Shoei.
    Durante aquele dia, Syaoran experimentaria diversas vezes a reprise dessa sensação.
   Às vezes, pouco falava e deixava apenas Jiang guia-lo por aqueles lugares.
   
     E no entanto, aquele domingo por muito pouco somente servira para alimentar nostalgias, melancolias, momentos que não tinha vivido e mesmo assim sentia falta.
    Jiang conversou com uma professora de canto do Conservatório que era conhecida de ambos os irmãos Linden, mas descobriu tal como imaginava que Huang não aparecia por lá desde a época que viajara com a banda para fora da cidade.
    O mesmo aconteceu quando Jiang foi reconhecido por um dos monges do Templo Kyuhyun e Syoran ouviu com imensa curiosidade o monge baixinho contar em tom espirituoso sobre os meninos cabeludos que perturbavam a paz de outros monges que tentavam meditar no jardim, com suas músicas e instrumentos barulhentos.
     Aproveitaram a parada no Bar San Martin para comerem algo, já que as horas já iam pelo início da tarde.
    Enquanto comiam rolinho primavera, um dos donos do barzinho conversou amenidades com Jiang e tal como os outros, nada sabia de Huang. Três anos antes, o Bar San Martin era para Huang uma parada obrigatória com os amigos de banda.
      Quando aquele itinerário traçado no papel por Jiang não poderia se mostrar mais frustrante, sentiu um alguém improvável cutucar de leve seu ombro...
   
       

2 comentários:

  1. Chega me arrepiei quando li o ultimo paragrafo! Que aflição e curiosidade hahah
    Tô pensando se essa busca foi mesmo efetiva :p

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, pode ser que eles não tenham as respostas imediatas, mas alguns esclarecimentos podem surgir com essa busca. ^^"

      Excluir

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...