12.6.17

Linden Twins ♫ ♬ Capítulo 49 por Mel Kiryu


Capítulo 49

         Estava tão agitado que nem teve paciência de esperar o elevador.
      Subiu os lances de escadas entre os andares em um só fôlego, o que era um grande feito considerando que era fumante e quando chegou ao corredor do quinto andar se deparou com Jiang encostado junto a porta do apartamento fechado de Huang.

    Syaoran estava ofegante ao chegar-se, colocando a mochila na lateral do corpo, deslizou o zíper pela metade e puxou um envelope branco de dentro dela.
    Jiang sentindo um sutil alivio por ter mais uma vez seus olhares conectados.
__Demorei, né?... É que a casa da tia Nahoko fica do outro lado de Shoei.__ Syaoran arquejou, sentindo o cansaço de sua façanha.__ Por que você está do lado de fora do apartamento? Huang não te deixou entrar?...
__Como foi na casa da sua tia?__ Jiang desconversou.
__A tia Nahoko não é minha tia pra valer, sabe... Mas, ela me dá a maior força... Aí já viu, né?__ Syaoran sorriu com menos vigor, talvez em razão das ausências de respostas que aquele dia confuso trazia.__ Só que, na verdade... Descobri que Huang passou por lá e deixou isto para mim.
    Jiang encarou o envelope estendido na direção de seu corpo e o tomou para si, examinou primeiro o lado de fora e encontrou a caligrafia cursiva de Huang na parte de trás, onde lia-se:

                               Para Wei Syaoran 
                                                              Com o devido amor que me desperta
                                                                                                                               
         O primeiro detalhe que chamou a atenção de Jiang foi ler "Wei Syaoran" e que Huang tinha escrito o sobrenome na frente de acordo com a tradição chinesa.
     Outro detalhe é que a caligrafia parecia ter feito com bastante capricho, estava especialmente bem feita para Syaoran.
       Em seguida retirou o papel do interior do envelope e constatou que era uma carta cuidadosamente escrita em papel Xuan Zhi, normalmente usado para pintura e caligrafia.
     Mas, obviamente Huang não usara a folha para uma coisa e nem outra.
     A data no cabeçario era recente, de poucos dias atrás.              
     E mesmo nas primeiras linhas carregava a essência dócil, límpida e frágil de uma carta de amor.
__Não é possível...__ Jiang retrucou baixinho, como se entrasse em estado de choque.__ Você leu tudo, Syaoran?
__Sim... Eu li... E confesso que chorei.__ Syaoran ainda tinha um sorrisinho entre os lábios que insistia em não desmontar.__ Eu preciso estar com Huang... Preciso muito.
__Syaoran! Percebe? Isso é uma carta de amor!__ Jiang sacudiu a carta aberta no ar.
     E Jiang tornou a dobrar a carta afoito, o papel fazia um ruído ruidoso e denotava a ansiedade incontrolável de seu gesto ao tornar a guarda-la no envelope, mexer em sua bolsa de couro de alça transversal.
__Eu sei, pô... Mas, e daí?__ Syaoran inqueriu sem entender.
    Vendo Jiang tirar aquela agenda de capa dura de dentro da bolsa, a mesma agenda que Syaoran vira nas mãos dele quando estavam viajando de trem.
    O som das páginas sendo rapidamente viradas também pareceu ecoar alto no corredor e Jiang colocou justo na página onde estava aquela lista de coisas a fazer antes de morrer.
__Leia isto, Syaoran!
    Foi difícil manter o sorriso assim que Jiang lhe empurrou aquela agenda e Syaoran correu seus olhos nas palavras também reconhecendo a letra de Huang.
    Antes de levar aquelas palavras à sério, Syaoran lançou um olhar desconfiado e todo semblante de Jiang parecia uma ordem imposta a sua pessoa.
                 "LEIA ISSO AGORA!"
                                                     E foi justo o que Syaoran fez.

                 Lista de coisas a fazer antes de morrer:

1. Fazer uma tatuagem (ou várias, quem sabe...)
2. Aprender a tocar guitarra (e ser muito bom nisso)
3. Fazer parte de uma banda de Rock
4. Tornar-me inesquecível para meu irmão
5. Visitar o túmulo de minha mãe ao menos uma vez (odeio cemitérios!)
6. Encontrar alguém que me provoque verdadeira paixão
7. Escrever uma carta de amor
8. Viajar sozinho e sem destino
9. Ver o por-do-sol e o alvorecer do ponto mais alto de uma cidade
10. Dormir ao ar livre e ficar contando estrelas até pegar no sono
11. E finalmente morrer aos vinte e seis anos
                                   
      Leu cada item da lista como se interpretasse e imaginasse Huang fazendo cada pequena coisa.
    E em meio as imagens que vinham em sua mente, fitou Jiang num ínfimo instante.
__Com certeza ele Huang alcançou a meta de se tornar inesquecível para você.
__Você acha?__ Jiang ironizou com uma pitada amarga na voz.__ Não tenho dúvida de que ele conseguiu realizar "quase tudo"... Não é uma lista das mais longas.
    Era verdade e Syaoran sabia.
    Se era exatamente sua pessoa quem tinha feito Huang conhecer de fato a paixão... Há dois anos um havia se enamorado perdidamente pelo outro.
     E agora... Essa carta de amor.
     Quando finalmente Syaoran chegou do décimo primeiro item, deixou a agenda cair e sua mão se agarrou a maçaneta do porta daquele apartamento, percebendo de cara que ela estava imóvel e indubitavelmente trancafiada.
__Huang... Huang não está aí, Syaoran.
    E novamente a voz de Jiang espremia um sentimento de aflição quase tão cortante quanto o estilete manchado de sangue largado dentro da pia do banheiro.
__Você esteve com ele, Jiang?! Cadê o Huang?...
     As mãos de Syaoran agarraram Jiang energéticas e fortes pelos ombros e tudo que Jiang conseguiu fazer no primeiro instante foi negar seu olhar, tornar-se cabisbaixo a encarar magoado a agenda de capa dura caída no chão.
    Magoado, porque de repente Huang era tudo que parecia importar.
__Você nem queria vir para Shoei...__ Jiang replicou, desapaixonado.__ Tinha praticamente desistido de vir ao encontro de Huang... Tudo mudou tão rapidamente em razão de uma estúpida carta de amor?...
__Você leu aquela agenda bem antes de mim... Você leu! E Huang quer se matar... Será que você não entende, Jiang?
    Os dedos de Syaoran machucavam seus ombros, submetiam seu corpo a solavancos.
__Ele já tentou se matar, merda! Quem não entende é você!__ Jiang gritou, de súbito caindo em si que estava no corredor do quinto andar.
       Haviam portas e possivelmente vizinhos a espreitar.
   Syaoran o encarou, assustado com aquelas palavras, perdido como nunca.
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...