2.7.17

Hasu no Hana Capítulo 1 por Rima-san


Capitulo 1
Uma história de  amor em Kyoto

          O coração partido de outrora andava-se recompondo, ainda que suas pedaços ainda não tivessem sido colocados no devido lugar, para Kyoichi o amor podia ficar em lista de espera, tinha decidido isso desde a ultima vez que se tinha apaixonado.
Seus dias eram ocupados com o trabalho e depois do trabalho voltava a casa onde se focava nas lidas domestico como nunca se dedicara antes, não queria pensar em coisas sentimentais, dizia a si mesmo que aquela vida era o suficiente para ele.
           Mas tinha entrado na casa dos trinta anos e seus pais se preocupavam com o filho que apesar de ser bem sucedido profissionalmente não tinha esposa, frequentemente Kyoichi recebia propostas para conhecer futuras noivas mas sempre as recusava, e só essa insistência por parte dos pais deixava sua mente cansada.

         Normalmente recusava férias, mas acabou sendo o próprio Kyoichi a pedir uma semana, seu pedido fora aceite, mas não tinha feito planos de ir a lado algum, apenas queria sair de casa, não ver sua correspondência, nem fotos de mulheres que não lhe interessavam, seu primeiro dia de férias foi estranho, viu-se em casa sozinho sem muito para fazer.
          Então parou e pôs-se a pensar para onde poderia passar um dias sem ser chateado por seus pais, ou por outros seres seus conhecidos, lembrou-se de Kyoto, á uns anos tinha ido numa viagem de trabalho, a experiência não tinha sido de todo agradável, mas recordava-se da cidade com um local bonito e calmo, tudo o que precisava.
Naquele mesmo dia á noite fez as bagagens e no dia seguinte apanhou um comboio que o levasse até Kyoto, não tinha hotel reservado nem sequer anotado os locais onde queria  visitar, apenas queria esquecer sua rotina de Himizuka nos próximos dias.
       Chegado a Kyoto parou numa pastelaria tradicional e comeu uma sandwich para matar a fome, o seu seguinte passo foi encontrar um hotel onde pudesse pernoitar nos próximos cinco dias, contudo a tarefa se tornou difícil, era primavera e pelos vistos havia muitos turistas na cidade para ver as flores de cereja que andavam florescendo.
        Com a maior parte dos hotéis com lotação esgotada ou preços elevados, Kyoichi só encontrou ao final da manhã um  quarto para ficar numa pensão simpática, bem tradicional mas também bem acolhedora.
        Arrumou seus pertences no quarto e aceitou o almoço que a Dona da pensão lhe ofereceu, no final voltou ao quarto e descansou um pouco não imaginando que fosse adormecer, quando despertou meia tarde se tinha passado e pouco ou nada poderia aproveitar daquele dia.
        Decidiu então caminhar um pouco pelas ruas, gostava do tempo ligeiramente fresco e as pétalas que caiam das arvores carregadas de flores pareciam delicados flocos de neve, nisso começou a ouvir uma leve melodia e foi ao encontro de onde vinha aquele som e mais á frente encontrou algumas pessoas apreciando um jovem tocando shamisen, sua mão parecia segurar o bachi com delicadeza e o som que saia daquelas três cordas era genuinamente belo, tão belo como o menino ajoelhado no chão que o tocava.
         No final o jovem levantou-se e fez uma pequena reverencia, ouve que o aplaudisse e ele pegou num pequenino pote de barro passando pela frente das pessoas e todas deixavam uma ou duas moedas á qual o garoto sempre agradecia.
         De imediato Kyoichi procurou uma moeda no fundo do bolso das suas calças e a achou, ia a depositar no potinho sem deixar de olhar aqueles olhos verde esmeralda do menino quando uma mulher puxou o braço do rapaz e lhe arrancou o shamisen da mão.
_Já disse que não te quero a tocar este shamisen! Opa! Há minha frente já!_ Mas antes que aquela mulher levasse o garoto dali para fora Kyoichi puxou pelo outro braço dele e depositou a moeda no pote de barro dele.
_Desculpe… não sei porque ele não pode tocar shamisen, de facto acho injusto pois a arte dele é bonita._ Kyoichi argumentou ajeitando os óculos, o jovem de cabelos longos e Yukata olhava para ele com surpresa.
_Olha posso estar enganada mas se fores quem eu estou a pensar, não costumas meter-te na vida  dos outros!_ Disse a mulher de Kimono levando as mãos á cintura, também ela dona de uma beleza incalculável.
_Tenho pena mas deve me estar a confundir com outra pessoa._ Kyoichi disse sendo o mais breve possível, algumas pessoas já olhavam para eles, esperando ver no que aquilo ia dar.
_Kyoichi… essa era esse o teu nome.._ A mulher levou as madeixas de cabelo para trás do ombro e sorriu satisfeita._ Raramente me esqueço de um cara._ Agora quem estava surpreso era Kyoichi, olhava para a mulher e tentava descobrir de onde a conhecia, olhando bem ela parecia familiar mas não sabia de onde.
_Desculpe não me recorde de alguma vez ter estado consigo…_ Acabou negando, ainda que se perguntasse como ela sabia seu nome.
_Não te lembras? Eu te recordo… á uns anos vieste aqui com um amigo Masaki era assim que ele se chamava? Hum…. Lembro de teres ficado fulo por aquele gato me ter levado para o quarto dele, mas no fim… até gostaste de estar comigo._ Ela trincou a ponta do dedo aparentando achar graça á situação._ Narumi é o meu nome, já te lembras?_ Claro que se lembrava, apenas se tinha tentado esquecer de todos os episódios tristes que passou por se ter apaixonado pela pessoa errada.
_Isso já foi á algum tempo…
_Pois foi…. Não pensei que te iria reencontrar…. Mas olhando para ti… tenho a sensação que ainda sofres por amor…._ O rapaz entre eles  puxou de novo o shamisen para ele._ Tu! Esperas aqui comigo!_ Narumi ralhou com o rapaz que encolheu os ombros sem dizer nada.
_Não sofro mais… tou livre agora._ Kyoichi suspirou olhando o céu vagamente.
_Porque não  vens tomar um chá a minha casa? Parece-me que continuas a não ter com quem desabafar._ Ela sorriu, mas Kyoichi tinha alguma relutância em aceitar._ Vá… é sem compromissos sérios._ Ela riu e o menino corou, era dele que Kyoichi queria saber, seria filho de Narumi, conseguia iguala-la na beleza.
Acabou aceitando os três caminharam até uma modesta casa em estilo tradicional japonês, foi então que Kyoichi percebeu Narumi nunca fora uma gueixa, era uma prostituta com nível.

2 comentários:

  1. Novo conto da Rima-san? Gnt, quantas estórias pra ler! Quanto mais melhor!
    Adorei saber que a estória é do Kyoichi. Acho que ele merece um recomeço depois de sofrer por amor....
    Vou acompanhar com ctz ^_^

    ResponderExcluir
  2. Oi Golden!
    Olha ia ser um extra de Love is strange, mas tá ficando um pouco longo e como são personagens secundarios podia gerar confusão
    Fico feliz de saber que gostou *-*
    Kyoichi desta vez vai ter sua história de amor pode ter certeza!

    ResponderExcluir

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...