11.8.17

Linden Twins ♫ ♬ Capítulo 66 por Mel Kiryu


Capítulo 66

      Passaram de mãos dadas por todos os cômodos.
    Era um apartamento maior que o anterior, os cômodos também eram mais espaçosos e não podia faltar no banheiro uma banheira em estilo antigo, Luciel adorava banhos de imersão mais do que qualquer outro.
    Até que chegaram num segundo quarto, o que deixou Jiang intrigado.
   No primeiro quarto onde haviam passado estavam os pertences de Luciel, a cama de solteiro e um armário de duas portas e quatro gavetas, com uma mesinha de cabeceira no mesmo estilo.
   Mas, o segundo quarto, ainda estava vazio... Exceto por algumas caixas de papelão ainda fechadas.
__Por que você alugou um apê com dois quartos, Lu?
    "Pretendia trazer alguém para morar contigo?..."__ Era isso que queria de fato perguntar, mas a questão ficou presa na garganta, entalada.
__Eu não aluguei... Eu tinha umas economias, o suficiente para dar uma entrada na compra do imóvel... Eu parcelei o restante e devo terminar de pagar em dez anos.
    Jiang apertou a mão de Luciel que envolvia a sua e o observou surpreendido.
__Você comprou o apartamento?... Isso, de qualquer modo, não responde a minha pergunta.
__Meu pai me ajudou, né? Ele foi o fiador da compra... Se não, nem dava... Parece que eu não consigo realizar nada sem ajuda dele.
    Luciel já ia puxando Jiang para ir a outro cômodo, mas acontece que Jiang ficou firme onde estava, como que colado e tratou de puxar Luciel de volta.
__Você não respondeu, Lu! Pra que comprou um apartamento com dois quartos?
__Por que isso te incomoda?__ Luciel deu os ombros, porém sem mesmo sorrir.
__Porque você é detalhista e não faz nada sem ter uma boa razão.
__Olha, Jiang... Você acha que eu quero ser Barman p'ro resto da vida? Como eu tinha deixado de lado o estúdio no segundo piso da sua loja, achei que podia trabalhar em casa como tatuador... Mas, desde que nós dois brigamos... Não consegui nem abrir as caixas com o meu material de trabalho.
__Nós não brigamos, Lu! Você fugiu da minha vida, mal tivemos tempo de brigar!... Você... Já estava namorando alguma outra pessoa?... Estava pensando em chamar alguém para morar nesse quarto?
    Tantas perguntas  fizeram Luciel soltar sua mão, mirar-se com um olhar torto-irônico em Jiang.
__Eu namorando alguém?!... Mas, que piada! Me diz como isso seria possível, se por mais que eu tentasse apagar você das minhas lembranças... Ah! Mas, você! Nem é um Idiota com I maiúsculo, é um IDIOTA com todas as letras maiúsculas!
__Pôxa, Lu... Você achou mesmo que eu ia aceitar que você se retirasse sem mais da minha vida?
                O tom de Jiang era discreto e magoado.
__Você parecia ter em Syaoran tudo que precisava e eu obviamente estava sobrando.__ Luciel retrucou desviando o olhar.__ Por isso eu tinha que fazer uma nova vida para mim, cara! Mas... Eu não sabia como fazer uma vida sem você e a todo instante... Sentia que estava fracassando, claro que eu fazia de tudo para mostrar o oposto para o meu pai.
    Falar do próprio pai, sempre parecia deixar Luciel para baixo, um desânimo tristonho sempre pairava em sua voz, um desânimo que sempre deixava infinitas reticências.
__Por isso eu comprei o apartamento, por isso fingi que não estava perdido.__ Luciel admitiu.__ E eu pensei... "Será que algum dia vou constituir uma família?"... Foi quando me ocorreu procurar um apartamento com dois quartos... e uma banheira.
    Jiang encarava o vazio daquele cômodo, a sentir o cheiro do piso recém encerado.
    Depois, voltou-se para Luciel tendo em seu olhar uma feição compenetrada.
__Achei que se eu fizesse algo responsável aos olhos do meu pai, que ele deixaria de me cobrar tanto por ter largado a faculdade.__ Luciel continuou o desabafo e todo sarcasmo habitual havia se esvaído de sua voz.__ Imagine se meu pai descobre sobre nós dois... Acho que ele me deserda.
    Jiang ainda observou Luciel por alguns segundos, porque queria ter certeza se ele dissera tudo que precisava.
    Recaindo o silêncio, era sua deixa.
__Lu... Sei que não é fácil ser filho de Daniel Laine, mas você tem que aprender a não dar tanta importância para as cobranças que ele te faz.
__Não são apenas cobranças, cara... É a decepção que eu represento como filho para ele.
__Decepção?... Que ridículo isso.__ Jiang se aproximou de manso, inconformado.__ Você é um homem honrado, que trabalha honestamente... Seu pai que fez um projeto de vida para você seguir e se quer perguntou se era o que você queria.
__Esse tempo todo, ele só estava esperando que eu me arrependesse do caminho que eu escolhi... Que eu voltasse para casa e lhe desse razão. Será que você não entende, Jiang? Ele não tem um pingo de confiança em mim... E ri dos meus sonhos como se não fosse nada.
__Se você ainda acredita nos seus sonhos, não faz a menor diferença o que seu pai acha disso.__ Jiang replicou sem desviar seu olhar do de Luciel, nem por meio segundo.
    Luciel ficou quieto, não adiantava dizer que fazia sim diferença seu pai estar de acordo com seus sonhos e planos.
     Era mais profundo do que isso.
     Quando seus pais se divorciaram em meado de seus três anos, Luciel foi criado então apenas por seu pai.
   Sua mãe acabou indo morar em outra cidade, casara-se de novo e tivera uma filha que era sua meia irmã, doze anos mais nova.
   Luciel não se dava bem com sua mãe, mas de tempos em tempos viajava para visitar sua meia irmã que se chamava Alicia.
     E no entanto, a relação que considerava mais importante era a que tinha com seu pai e era justo a mais complicada. Ambos tinham personalidades fortes e interesses que entravam em constante conflito.
    Embora Luciel sempre lutasse pelo o que queria, sofria por nunca ter a aprovação de seu pai.
   Mas, naturalmente fingia que nada disso tinha importância.
      Então, naquele momento dentro do cômodo praticamente vazio, a mão de Jiang procurou a sua que estava caída e ainda sim retraída ao lado de seu corpo e segurou nela com aquela meiguice cálida que Luciel conhecia tão bem.
__E eu que pensei que você só estava mal por minha causa...__ Jiang riu.__ Que pretensão a minha, né?
__Nem é pretensão, mano.__ Luciel ofereceu um meio sorriso tenso.__ O problema com o meu pai é antigo e se eu consigo lidar com isso, é porque somos amigos... Quando eu me afastei de você, Jiang... Tudo na minha vida ficou ruim.
__E mesmo assim... Nós não estaríamos aqui juntos se eu não tivesse convencido Lalo a me trazer aqui.
__Que bom que a sua teimosia falou mais alto do que a minha.
    Luciel se inclinou de repente e entregou um beijo morno na orelha de Jiang.
   Que delícia era sentir um arrepio descendo efusivo por seu pescoço... Ao passo que seus olhares estavam enlaçados e Jiang sentiu em seguida um dos braços de Luciel passando afetuosos por seu ombro.
__Vem, mano... Vamos comer juntos... É, bem... Alguma coisa.
__Hum... Você nem sabe o que tem na dispensa, né?__ Jiang riu, enquanto deixavam o quarto.
__Que fazer, né?__ Luciel fez uma careta.__ Certas coisas nunca mudam.

3 comentários:

  1. Quando Jiang começou a ficar enciumado por conta do quarto eu já me preocupei.. Quando começou a briguinha... Eita, fiquei doidinha. Kkk entendo o sr. Laine, apesar de acha-lo bem errado e arrogante.. Mas, claro, fico bem mais puxada ao Lu, deve ser difícil lidar com um pai que nao aceita o projeto de vida que ele quer construir.. :-\
    Ainda bem que entre esses pombinhos ficou tudo bem no final do cap ^_^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os dois já brigavam quando eram amigos, né?... Como namorados então!
      Como toda pessoa, o pai do Luciel não é de todo mal, mas é mesmo uma dificuldade a não aceitação que ele tem com os projetos do Lu.
      E continua bem... Até o Huang reaparecer no enredo. :/

      Excluir
  2. Eu achei que o Jiang se estava preocupando demais com o segundo quarto por que tipo um dia quando comprar uma casa ( eu queria mesmo era um apartamento) quero no minimo com dois quartos...
    Agora que o Luciel esta bem para baixo em relação ao pai está.... pode ser que levante o animo com a ajuda do Jiang

    ResponderExcluir

Oi! (◍•ᴗ•◍)
Veio comentar?
Cada autor desse blog recebe um imenso incentivo a cada comentário.
(Comentários anônimos também são bem vindos ^^")
Agradecemos sua opinião! ٩(๑•◡•๑)۶
Mas, se for apenas comentar sobre erros de gramática, isso é dispensável.

Siga-nos no Facebook

o
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...